DIÁRIO  DE                       NOTÍCIAS

  
  

MUXI-NGOLA
MUXI-NGOLA
www.redemuxingolanews.info
VOLTAR AO SITE


NOTÍCIAS  INTERNACIONAL
  

  
Política - economia - saude – mulher – criaça - musica - desporte
  ​​
  
A OPOSIÇÃO ANGOLANA JUNTA NA  CONFERÊNCIA DE IMPRENSA EM LUANDA   
  
Igual em 1992 quando a UNITA proibiu que os resutados fossem publicados, a mesma atitude volta a ser tomada em 2017. Lembramos que em 1992 não funcinou mesmo com as meaças de Mango Alicerce e  Abel Chivukuvuku de Somalisar Angola.
  
  ​Por  : Marta Fernandes  
              02/09/2017
   
capacidade de vencer a ditadura se não mudar a sua forma de fazer a política, porque acabamos de confirmar a oposição  dirigida pela UNITA  contunua a ter  o mesmo estilo , a mesma politica a mesma estrategia e as mesmas pessoas nada mudou. E o MPLA continuará como o unico Governante de Angola se o MUN não realizar algo ao benefício do Povo.
  
Os resultados que temos hoje coloca em primeiro lugar o MPLA com 61% dos votos, sendo assim com maioria de votos Angola já tem eleitos o Presidente e Vice-presidente da Republica, João Lourenço e Bornito de 

Souza, bem como também 150 deputados dos 220 da Assembleia Nacional,
O que é muito estranho pois se o povo elegeu por maioria de votos o MPLA, porque não estão  festejando a vitória nas ruas como era de se esperar e sim planejando manifestos contra o governo recém eleito.

Muito há que se esclarecer na minha opinião a começar pelo sumiço de algumas urnas e surgimento de outras novas, passando pelo desparecimento de votos, pessoas ameaçadoras na boca das urnas obrigando eleitores a assinalar o 4, entre outras coisa realmente suspeitas, que aconteceram durante as eleições e que na hora da contagem dos votos não foi muito diferente...

Ao ler o documento citado acima Isaías Samakuva presidente da UNITA nota ainda que,
"apesar das múltiplas reclamações apresentadas em todo o país, às comissões provinciais eleitorais, para que procedessem conforme a lei, estas utilizaram todos os subterfúgios para adotarem os resultados que lhes foram enviados pela CNE em Luanda, baseados em actas-síntese não assinadas pelos delegados de lista das forças políticas concorrentes".

"Não admira, pois, que a CNE, posicionada no centro de uma estratégia que pretende fugir ao apuramento dos votos obtidos em cada mesa, em todo o território nacional, província por província, esteja a inviabilizar as reclamações dos concorrentes apresentadas em devido tempo na maior parte das províncias, algumas das quais antes mesmo de se lavrarem as actas viciadas com resultados provenientes de Luanda",  assim como aconteceu em 1992.

A oposição ainda alerta para o comprimento da lei:
"Caso o mesmo seja feito à revelia da lei será inválido e não poderá seguir para indicação da lista mais votada nem para distribuição de mandatos".

E nós do M.U.N nos mantemos a aguardar os resultados sempre a prezar pelo bem estar do povo angolano, defendendo sempre que "ELEIÇÕES NÃO DERRUBAM DITADORES" e que  precisamos neste momento de crise que Angola atravessa pautar pela consciência e optar pela revolução organizada, pois nenhum governo corrupto é mais forte que um povo em união, quando os que estão em baixo deixam de apoiar os que estão em cima fatalmente iram cair.
  
  
Se reuniram hoje em Angola, domingo, 03/09/2017, os principais partidos da oposição,  afim de discutirem o processo de apuramento dos resultados definitivos ao nível das comissões provinciais eleitorais, o que declaram 'INCONSTITUCIONAL E ILEGAL", pois na maioria dos casos vai de encontro com o plasmado da lei.

não concordando com a forma que a Comisão Nacional Eleitoral (CNE) se posicionol diante dos fatos ocorridos mediante as eleições de 23 de Agosto de 2017, sobre o apuramento dos resultados provinciais,  lideres das pricipais forças opositoras angolanas,  UNITA, CASA-CE, PRS E FNLA, dizem que não houve apuração nos termos da lei Organica sobre Eleições Gerais, exeto nas provincias do Zaire, Cabinda e Uinge.

em um documento lido pelo presidente da UNITA, Isaías Samakuva, foi alegado pela oposição angolana, neste domingo que o escrutínio apenas foram verificados os votos nulos, brancos e reclamados.
A oposição declara que o processo pode até se tornar INVALIDO caso a CNE, não dê inicio ao apuramento nacional definitivo.

Querem que seja realizado novo escrutinio provincial, com base na lei e na constituição, foi proposto também a criação de uma comissão popular incluindo as igrejas, para apuramento da veracidade dos factos e para que seja justo o processo.

contudo porém tudo está acontecendo da mesma forma que aconteceu em 1992, quando  a UNITA tinha declarado através dos seus dirigentes na Comissão Conjunta na pessoa de Abel Chivukuvuku que a Comissão Electoral não deveria anunciar os resultados das eleições  em caso contrário esta deveria assumir as consequências  que Angola iria viver porque  caso contrario seria  a Somalização de Angola. E assim foi feito depois da divulgação das eleições a UNITA voltou a Guerra , hoje  ja não existe Savimbi , porque sim acreditamos ele nunca aceitaria esta bangunça toda , hoje nehum Partido da Oposição tem esta capacidade.

Como foi feito em 1992 o mesmo sera feito agora a CNE vai sim divulger os resultados e nada vai acontecer, e isto é o que sempre frustrou os dirigenets do MUN que  sempre avisaram que a oposição não terá 
  
  1. PORTUGAL
    MINISTRA DA JUSTIÇA PORTUGUESA DESPREZA COMPLETAMENTE O MPLA E SEUS DIRIGENTES Francisca Eugénia da Silva Dias Van Dunem Natural de Angola cidadão Portuguesa primeira mulher negra a assumir um cargo importante e superior a nível da Europa Ministra de Jistiça . No decorrer de uma entrevista prestada a RTP 3 a Ministra da Justiça de Portugal Francisca Van-dúnen, diferente do seu Presidente o Dr. Marcelo Rebelo de Sousa, recusou-se em falar de questões da política angolana enquanto governo for o regime comunista do MPLA/EDUARDISTA Acrescentando Ela que trata-se de um governo nojento e repugnante. portugal2 A mesma selou a questão nos seguintes termos: SÓ IREI FALAR DA POLÍTICA ANGOLANA QUANDO EXISTIR NESTE PAÍS UM NOVO GOVERNO.
  2. Feature Title 2
    You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear.You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear.
  3. Feature Title 3
    You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear. You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear.
  4. Feature Title 4
    You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear. You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear.
  5. Feature Title 5
    You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear. You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear.
  6. Feature Title 6
    You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear. You can edit text on your website by double clicking on a text box on your website. Alternatively, when you select a text box a settings menu will appear.